sexta-feira, maio 12, 2006

DEMOCRACIA

Comparações entre regimes democráticos são difíceis e para a maioria os EUA é primeiro mundo e o Brasil terceiro. A primeira diferença é que os regimes democráticos tendem a enxugar a maquina pública, mas nos paises de terceiro mundo isso vira utopia. Os EUA têm 298 milhões de habitantes contra os 140 milhões de brasileiros, possuem 2 senadores por estado enquanto nós temos três. Nesse item estamos aparentemente melhor, pois eles têm 100 senadores e o Brasil 81. Não fosse o estado do Alaska as dimensões do território americano seriam menores que o Brasil.
A câmara de deputados americana possui 435 representantes eleitos pelo número de habitantes de cada estado, aproximadamente um representante para cada 700 mil habitantes, enquanto no Brasil temos um deputado para cada 250 mil habitantes. Quando morre um deputado ou um senador nos EUA a vaga fica aberta até o momento que aquele distrito eleger outro representante. Se um representante for convidado para outro cargo no governo sua vaga fica aberta, não há suplentes, e ao abrir mão do cargo será mal visto por seus eleitores e talvez não se eleja nunca mais. Estados como Wyoming, Vermont, North Dakota, Montana, Delaware e Alaska possuem 1 único representante. Tomando como exemplo o estado de Montana que possui área igual ao estado do Paraná e apenas 1 milhão de habitantes, porem 90 por cento da população possui o segundo grau completo e 25 por cento graduou-se em alguma faculdade.
A Califórnia e o estado de São Paulo são equivalentes em numero de habitantes aproximadamente 36 milhões, porem enquanto a Califórnia possui 53 representantes, São Paulo 70, um para cada 500 mil habitantes. O estado do acre com 480 mil habitantes têm 8 representantes na câmara federal 1 para cada 60 mil habitantes.
Nos EUA a regra é cumprida para todos os estados federativos, porem, no Brasil se fosse mantida a media São Paulo teria 140 deputados federais e o Acre apenas 1. Alem domais nos EUA quando um estado tem mais de um representante, esse estado é divido em igual número de distritos e cada distrito elege o seu candidato, assim em palavras mais simples o representante federal americano é distrital e não estadual. Os salários do senado americano são de 30 mil reais por mês, mais a moradia, as despesas de trabalho são por conta da câmara, porem assessores, cartas, gasolina e passagens são despesas do próprio senador. A aposentadoria oficial se resume a 1334 U$ por mês, o que obriga a todos contribuírem para a previdência privada. Somente presidentes têm benefícios vitalícios. Algumas cidades como New York não pagam salários aos seus vereadores, apenas ajuda de custo que nesse caso é de 3000 dólares por ano.
Nossa constituição no artigo terceiro inciso III diz que constituem direitos fundamentais da república erradicar a pobreza e a marginalização reduzir as desigualdades sociais e regionais.
Não é oneroso aos demais estados sustentarem os 8 deputados acreanos?
Não seria democrática a redução drástica de nossos políticos?
Será que dando um número maior de representantes aos estados pobres melhora suas condições ou facilita a corrupção?
A verdade é que os misóginos têm aversão à democracia, eles preferem socialismo, nazismo, comunismo, totalitarismo, militarismo, fascismo, vejam que todos são masculinos.
A feminilidade da palavra democracia contrasta com outro termo filógino que canta o amor por essa mulher maravilhosa chamada LIBERDADE.

Liberdade para quem apóia um governo único, para membros de um partido único - não importa o quão grande seja a sua base - não é liberdade.
Liberdade é sempre a liberdade daquele que pensa de maneira diferente.
ROSA DE LUXEMBURGO


Bom dia VSROCCHA
www.antimisogino.blogspot.com.br

Um comentário:

Margit disse...

Maravilhoso caro amigo! A tua lucidez é fantástica.
Amei!